Home / Brasil | Mundo / Redação / Colunistas / A arte popular e nossos mortos

A arte popular e nossos mortos

Negro Belchior.

por Lucas Gomes   Existe um estilo de música na Argentina que é em muitas coisas análoga ao funk carioca: a cumbia villera. O preto pobre periférico no Brasil não sabe o que o pobre periférico indígena escuta na Argentina, e vice-versa. Bem, na Argentina se escuta desde o fim dos anos 90′ a cumbia villera [cumbia favelera]. A cumbia é um estilo de música popular escutada em toda a América Latina, contando com algumas tradições próprias de países variados, como na Colômbia (mais tradicionalista) ou no Peru (que nos anos 80′ viu nascer a cumbia psicodélica). A cumbia popular argentina tem como um de seus principais ícones Gilda, cantora que morre no auge de sua carreira em um acidente de carro. Mas a novidade surge a partir de uma banda que hoje é mítica, Damas Gratis, e seu cantor, Pablito Lescano. Se trata de uma cumbia de “baixo orçamento” que fala sobre mulheres (de forma misógina), sobre drogas (principalmente consumo) e sobre a polícia. Qualquer semelhança com o funk, temática ou cronológica, não é mera coincidência. Se alguém tiver interesse em conferir como soa esse estilo hoje em dia, também visualmente, pode conferir o clip da música “Yo uso […]

Leia também:   Veja o esquema de trânsito para os show de Bruno Mars no Morumbi, em SP

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

x

Check Also

Cresce a indústria da beleza voltada para a população negra

    Produtos para definir cachos ...