Home / Agência Áfricas / Centro Cultural Africano promove noite de entrega do III PREMIO ÀSÉ – ISESE

Centro Cultural Africano promove noite de entrega do III PREMIO ÀSÉ – ISESE

Agência Áfricas de Notícias – por Claudia Alexandre

São Paulo – Pelo terceiro ano consecutivo o Centro Cultural Africano promoveu uma noite de festa para a realização do  Prêmio Asé Isesé (A força dos ancestrais), para homenagear nomes importantes do universo afro-religioso e da luta contra a intolerância e todas as formas de discriminação, que atingem principalmente os seguidores das religiões afro-brasileirasA premiação aconteceu no auditório da Câmara Municipal de São Paulo, dia 16 de novembro.

O Centro Cultural Africano é uma organização sem fins lucrativos, que foi fundado em 1999, pelo nigeriano Otunba (rei) Adekunle Aderonronu, com slogan “divulgar a Cultura Africana pelo Mundo”e a missão de fortalecer o intercambio entre o Brasil e a África, valorizando a solidariedade, a ética, a esperança, o talento, o respeito, além de manter vivas as tradições culturais africanas e afro descendentes,  contribuindo assim para o desenvolvimento do patrimônio oral, material e imaterial da humanidade, segundo a UNESCO.

Este ano foram homenageados com o troféu Asé Isesé 2017:  Mãe Luizinha do Ilê Alaketu Asé Airá – Asé Batistini; Babalawò Apena Ifalèye Àkálá Oosagbemi, do Fórum Inter-Religioso do Estado de São Paulo; Maria Aparecida Soares – Mam’etu Luijidi ( Mãe Ofá), Presidente da associação de Estudos e Defesa da Cultura Afro e Religiosidade Espírita de São Roque; Pai Guimarães D´Ogum, Coordenador do projeto EXPOAFRO, idealizador do CONEAFRO; Maestro Roberto Expedito Casemiro, Awo Fakan Iwory Wany Omo Ogun;  Luiz Alexandre Jr., Numerólogo, escritor e presidente do CECURE – SP(Centro de Estudos, Pesquisas Aplicadas e Terapias de Cura Espiritual)  e do Templo de Umbanda Liberdade Tupinambá (Paraty – RJ); Babá Diego de Aira , fundador do Ilê Inã Axé Ofá Odé – Axé no Parque da Mooca comunicador e gestor público , filho do grande Ícone do Candomblé do Brasil , o saudoso Pai Percio de Xango; Airton Gonçalves – Babalorixa Airton Ti Ogun, dirigente do Ile Ase Ogun Alagbede; Cosme Felix, jornalista e fundador e diretor da revista Tribuna Afro Brasileira   

 O evento contou com as presenças do jurista Dr. Hedio Silva Jr.,  da suplente de Deputada Federal, Rosângela Muniz e do Cônsul da Nigéria, Musa Dauda, entre outras autoridades. A jornalista e radialista Claudia Alexandre fez a apresentação da cerimônia, ao lado de Cosme Felix, da Tribuna Afro-Brasileira.

O presidente do Centro Cultural Africano  Otunba Adekunle agradeceu aos apoiadores dos consulados do Continente Africano em São Paulo:  Consulado da República Federal da Nigéria, ao Cônsul Geral da África do Sul, ao Cônsul Geral da Namíbia, ao Cônsul Geral de Angola, ao Cônsul Geral de Cabo Verde, Tribuna Afro Brasileira, a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo – Coordenadoria de Gêneros, a Prefeitura de São Paulo e ainda “a Câmara Municipal dos Vereadores na pessoa do Vereador Zé Turin   que abraçou de pronto este projeto,  nos vemos em 2018 no IIII Premio Àsé – Isese”.

Para animar a noite houve a apresentação artística do Senegales Kunta Kinte e do Grupo Eyo de Oduduwa Yoruba. O maestro Casemiro entou o hino da União Africana.

Veja fotos:

 

x

Check Also

“É um desafio ser uma negra e índia que se atreve a escrever”, diz Cláudia Canto

  Norma Odara, do Brasil de Fato  ...