Parentes de vítimas da violência são recebidos por procurador-geral de Justiça – Áfricas – Agência de Notícias
Home / Mulher / Parentes de vítimas da violência são recebidos por procurador-geral de Justiça

Parentes de vítimas da violência são recebidos por procurador-geral de Justiça

Grupo promoveu o ato “Acorda MP”, em frente à instituição

Do O Globo

Parentes de vítimas da violência foram recebidos nesta quarta-feira no Ministério Público estadual, após a realização de um ato em frente à instituição, para protestar contra a demora de atuação do órgão e cobrar a responsabilidade de policiais em assassinatos ocorridos em favelas e no subúrbio da cidade. A manifestação, denominada “Acorda MP”, foi organizada pela Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência e tinha como objetivo chamar a atenção das autoridades para crimes cometidos no mês de abril, nos últimos anos. A maioria dos casos lembrados ainda está sem solução.

O grupo foi recebido pelo procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, e por representantes das áreas criminal e de direitos humanos. Os manifestantes entregaram uma carta ao MP, listando outros crimes, entre eles alguns que ainda estão parados nas delegacias de Homicídio.

Leia também:   COMO DESEMBARAÇAR , FINALIZAR E DAR VOLUME NA FIBRA CACHEADA - BRAZUCA

Segundo o MP, Gussem se solidarizou com os parentes das vítimas e determinou o encaminhamento dos casos relatados às promotorias de Justiça com atribuição. Ao grupo, disse que o MPRJ vem fortalecendo suas estruturas voltadas para a atividade fim, mesmo diante da crise: “Vamos perseguir os responsáveis e as autoridades que foram negligentes e tomar as medidas cabíveis”.

Também presente ao encontro, a assessora de Direitos Humanos e Minorias, Eliane de Lima Pereira, garantiu que o MPRJ está atento à gravidade dos fatos apresentados. Segundo a promotora de Justiça, “é claro o posicionamento da chefia institucional no combate às violações recentes, aliado a um esforço de fortalecimento dos órgãos de execução para que efetivamente possam ser cobrados e demonstrar os resultados esperados pela sociedade”.

Após o encontro, 44 parentes de vítimas da violência foram recebido pela procuradora Viviane Tavares, pela promotora Eliane de Lima Pereira e pelo promotor Luiz Fernando Rabelo, subcoordenador do Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública (Gaesp). Cada parente pôde relatar a sua história.

— Queríamos cobrar a atuação deles. Existem algumas limitações, mas garantiram que vão trabalhar nos casos, vão receber grupos de parentes todo mês. Para nós foi um passo bem grande, até porque agora temos como cobrar uma resposta — disse Maria Dalva da Costa Correa da Silva, mãe de Thiago da Costa Correia da Silva, morto em 2003 na Chacina do Borel, na Tijuca.

Os membros do MPRJ explicaram o papel da instituição e do Gaesp para investigar os casos. Eles se comprometeram a receber nas próximas semanas cada um dos parentes presentes para analisar individualmente seus casos, além de tomar todas as medidas necessárias para punir os criminosos.

. Áfricas

[ VOCÊ FAZ A NOTÍCIA ] - Agora você pode enviar vídeos, imagens ou matérias e vê-los aqui. Também podemos divulgar, eventos, foruns, livros e etc. Envia para : redacao@africas.com.br

veja mais

Como recuperar o cabelo crespo e cacheado ressecado | Eva Lima